PASSO 1 – PREPARE SUA MENTE E DETERMINE SUA DIREÇÃO

116220689_438039ddb3_b

Se hoje fosse o último dia da sua vida, se você parar agora e olhar para trás, o que gostaria de ter feito? O que gostaria de ter realizado? O que gostaria de ter sido? Como gostaria que as pessoas se lembrassem de você?

Quais são suas metas pessoais?

 

Quais são suas metas profissionais?

 

Quais são seus desafios?

 

Foi perguntado aos graduados de 1953 da Universidade de Yale quais deles tinham metas claras e específicas anotadas com um plano para atingi-las.

 

Só 3% tinham tais metas anotadas;

 

Vinte anos mais tarde, em 1973, os pesquisadores entrevistaram as mesmas pessoas e descobriram que os 3% valiam muito mais, em termos financeiros, que os outros 97% juntos.

 

Mais do que isso, descobriram também que até mesmo em questões mais subjetivas como felicidade e alegria os 3% pareciam ser superiores.

 

Esta pesquisa mostra a importância de termos metas bem definidas e planejadas, mas será que isso é tudo?

 

Se tivesse que responder essa pergunta a cerca de 4 anos atrás diria que isso é extremamente importante e fundamental.

 

Hoje, diria que é importante, mas fundamental mesmo é você descobrir o que o guia no mundo, o que dá sentido a sua vida, o que o faz acordar todos os dias feliz e com vontade de trabalhar e realizar. E isto nós podemos definir em uma palavra: propósito.

 

O nosso propósito é aquilo do qual derivam todas as nossas metas e objetivos, é o que determina a nossa direção, o nosso caminho.

 

Vamos imaginar que vou fazer uma viagem pela Europa.  Posso passar pela Europa conhecendo museus, castelos, templos, lugares históricos, as variedades naturais (paisagens, praias,…), entre outros lugares similares.

 

Poderia também fazer a mesma viagem aproveitando a noite de todos os lugares, conhecendo as boates, casas noturnas, bebidas e mulheres europeias.

 

Cada uma destas possibilidades (museus, castelos, casas noturnas,…) são os objetivos que posso ter nesta visita.

 

O que me faz escolher uma opção ou outra é o meu propósito. Se meu propósito é fazer uma viagem histórica de aprendizado e crescimento pela Europa, não fará sentido usar o meu tempo  em casas noturnas, sair com mulheres e beber.

 

Já se meu propósito desta viagem é aproveitar a vida, diversão e conquistas, dificilmente vou querer gastar meu tempo com museus e castelos.

 

Como neste exemplo, o que vai dizer como vou aproveitar a viagem a Europa é meu propósito. Tudo o que fizer lá (objetivos e metas) terá a ver com este direcionamento.

 

Da mesma forma, fazendo o paralelo com nossa vida, o que vai dizer por quais lugares vamos caminhar na vida será nosso propósito. O propósito vai apontar a direção, e os objetivos e metas serão as coisas que iremos fazer nesta caminhada.

 

Nós vivemos em uma sociedade que valoriza muito as metas e os resultados. No trabalho, nos treinamentos que as empresas dão para seus colaboradores e na mídia, uma das coisas mais valorizadas é sabermos definir metas e conquistá-las.

 

Realmente, isso é muito importante, mas, no meu ponto de vista, não é o que vem em primeiro lugar.

 

Quantas vezes você já quis alguma coisa, conquistou o que queria, mas isso não o deixou feliz?

 

Definir um monte de metas e partir para conquistá-las sem antes avaliar o que é realmente importante para você, onde está sua essência e o que faz a vida ter sentido para você, é como caminhar pela vida vendado. Lá no final da vida, no último dia da sua vida, quando a venda cair e você abrir os olhos é que saberá onde chegou e se era lá que queria, de coração, estar. Se não for, não dará mais tempo de voltar atrás…

 

Você também pode torcer para que aconteça um vendaval na sua vida e este arranque a sua venda sem que você queira. Talvez, dependendo de quando este vendaval aconteça, você ainda possa mudar alguma coisa se abrir os olhos e descobrir que não está onde queria estar e nem com as pessoas que realmente são importantes para você.

 

Ou então você pode tirar essa venda agora (se ainda não a tirou), olhar a sua volta e ver o quanto se sente feliz e realizado com a vida que tem levado. A diferença é que se fizer isso agora, por vontade própria, você ainda terá oportunidade para analisar a sua vida e perceber o quanto você a está seguindo conectado com aquilo que é, com o que realmente é importante para você ou quanto está correndo em direção a objetivos que são legais para os outros, para a sociedade, mas não para você.

 

Meu desafio para você agora é: encontre o seu propósito. Encontrá-lo tornará sua vida mais tranquila, ficará mais fácil saber que decisões tomar e por que caminhos andar.

 

Se você nunca pensou nisso comece agora. Não será fácil, pois não estamos acostumados a pensar sobre isso (em média, levando em consideração nossa sociedade), mas tenho certeza que todos somos capazes de chegar a esta resposta.

 

Para ajudá-lo, pense o seguinte: se hoje fosse o último dia da sua vida, se você parar agora e olhar para trás, o que gostaria de ter feito? O que gostaria de ter realizado? O que gostaria de ter sido? Como gostaria que as pessoas se lembrassem de você?

 

Pensou nisso? Agora a última pergunta: se hoje realmente fosse o último dia de sua vida, isso tudo teria acontecido?

 

Se sua resposta for sim, parabéns. Tenho certeza de que a cada dia você se torna uma pessoa mais feliz.

 

Se a resposta for não, lembre que sua vida pode começar agora e comece fazendo tudo para que ela seja assim a partir deste momento.

 

Isso tudo que falei até agora é a segunda parte do primeiro passo: determine sua direção.

 

Vamos falar agora da primeira parte: prepare sua mente.

 

Preparar a mente não é só estudar, fazer uma especialização, adquirir mais conhecimento. Isso normalmente fazemos.

 

O que quero fazer é chamar atenção para a segunda parte da preparação da mente, aquela que costumamos não fazer.

 

Tudo funciona melhor no ponto de equilíbrio e este ponto na mente é quando fazemos esta primeira parte que foi dita acima, mas também quando aprendemos a relaxar, a esvaziar a mente e retirar o lixo. O lixo é tudo aquilo que nos tira do presente, que nos tira da conexão com nós mesmos e com tudo que está a volta.

 

O propósito por exemplo, dificilmente chegamos a ele sem limparmos a nossa mente e nos conectarmos com nosso coração. Sobre este equilíbrio entre mente e coração vamos falar melhor no 3º passo.

 

Por agora, busque na sua vida formas de relaxar, de se conectar mais com a natureza e com você mesmo. Procure ficar mais próximo das pessoas que ama e diga isso a elas. Trate sempre todos bem.

 

Quando tiver dúvidas sobre o que fazer, vá para algum lugar com natureza (praia, floresta, parque, cachoeira,…) e se conecte com ela. Com o tempo, você ficará impressionado como este simples ato vai ajudá-lo a tomar melhores decisões e a ser mais feliz.

 

Na parte determine sua direção expliquei o conceito para que você pratique. Já na na parte prepare sua mente disse o que você poderia praticar. A melhor explicação é aquela que encontramos por nós mesmos. Experimente e descubra por si mesmo.

 

Bom, vou parar por aqui, pois este desafio já vai dar bastante dever de casa para você.

 

Fique tranquilo que falaremos mais sobre mente e coração.

 

Boa sorte no desafio, tenho certeza que você consegue. Lembre-se apenas que tudo acontece no tempo certo. Só pratique, na hora certa a resposta vem.

 

Aos Amigos que estão lendo este artigo direto, leiam o artigo introdutório ” O caminho dos 7 passos – Um desafio para todos”. Este artigo é indispensável para entender todos os outros.

 

Um abraço e até a próxima.